quinta-feira, 11 de abril de 2013

Bruno Brunello

Bruno Brunello, grande ser humano que tive o prazer de conhecer, um mestre, mestre em educação, humanismo, políticas públicas. Homem competente, dedicado, sério no trabalho e um doce de pessoa nas suas relações. Vou procurar seguir algumas de suas tantas lições. Para ele, turismo não é mera "válvula de escape" pequeno-burguesa, mas um instrumento de transformação social. 
O turismo tem uma função política, transformadora da realidade, deve ser orientado para a qualificação dos jovens, dos pobres, da sociedade. Orientado para a diminuição das desigualdades sociais, para a diminuição da pobreza. Em sua biblioteca, na Itália, livros de autores católicos, e as obras completas de Marx e Lênin.
Morreu no final de fevereiro, na Itália. Ultimamente sentia sua doce presença, forte, bela, ao meu lado. Hoje um amigo me disse que ele faleceu há menos de dois meses. Bruno continua agora vivo na Cidade de Deus, e sua luz permanece indicando o trabalho social como caminho de amor político que, por ser amor verdadeiro pelos pobres, pelos excluídos, é amor eterno.

Um comentário:

Anônimo disse...

Também conheci e fiquei triste em saber do seu falecimento.